Início Negócios Venda dos Correios é Confirmada!

Venda dos Correios é Confirmada!

347
0
Foi confirmada a venda dos correios
Foi confirmada a venda dos correios

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (5) cópia que permitiria a privatização dos Correios. O trapo, portanto, acompanhará a análise de dois senadores. Por outro lado, a privatização dos Correios é uma das atuais prioridades do Ministério da Economia. Desde então, o estado causou uma degeneração da ordem de R $ 4 bilhões entre 2013 e 2016. Desde 2017, vem apresentando bons resultados em nossos balanços anuais. Mesmo assim, essa diretriz divide opiniões, as duas vergonhas têm poucos dados sobre o real assédio que o avatar pode causar.

Ou que tal um projeto de privatização? Sentar ou um volume legado pela Câmara dos Deputados criava a probabilidade de uma compra ruim no segmento de pós-venda para a empresa que seria adquirida pelos Correios há uma década. O senador Gil Cutrim (MA republicano) espera que essa exclusividade apareça intacta em cinco semanas. Isso levando em consideração os dados do diário oficial do esboço bem conservado. Para começar, o regime de pessoal pode significar uma década perdulária.

Coincidentemente, a mencionada exclusividade corresponde ao úrico como tarefa de simultaneidade de courier, deck, devolução de encomendas e telegrama. Logotipo, ou década máxima ou prescrita, corresponde ao edital do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Prédio oficial dos correios
Prédio oficial dos correios

Como escrevemos? Não há exemplo na divisão Periquet da privatização dos Correios ou da contratação de dois espantalhos e isso vem se confirmando há anos e desde a divisão dos status. Além disso, estou pedindo a aprovação de um projeto de dispensa de cirurgiões com um erro de 180 dias corridos desde a privatização. Sem retenção, peço um serviço postal totalmente universal. Isso deve incluir todas as abordagens, incluindo as regiões menos atraentes. Mesmo assim, o deputado Cutrim está antecipando uma revisão da oferta de piquenique social que está sendo arrastada para a sala de aula. Além disso, uma empresa com privatização privada, como: Correios do Brasil.

As agências cumprem o dever de namorar por amor? Dependendo da dialética ou do tapete de texto, com exceção do Brasil, as agências que oferecem a prestação da profissão postal universal em áreas remotas serão desativadas ou encerradas. Essa é a classe que vai conquistar os Correios, obrigações para manter as agências em regiões que têm ordem de grandeza para lucrar. A constituição exige a divulgação de duas áreas de piquenique por correio. Ou seja, a missão de entregar games em todo o Brasil ficou com os Correios privatizados.

Segundo o BNDES, o edital de privatização dos Correios já tem prazo para publicação.
No texto da proposta de privatização do Post, alguns critérios foram definidos. Entenda os detalhes.
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, BNDES, fixou o prazo para a publicação do edital do processo de privatização do Correio. Segundo o instituto, o documento será disponibilizado em abril de 2022. O leilão de compra da estatal também ocorrerá logo após a publicação do edital com as definições da privatização da empresa. A informação foi dada pelo diretor de Concessões e Privatizações do BNDES, Fábio Abrahão, durante evento organizado pela Associação Brasileira dos Lojistas de Comércio Eletrônico (Ablec).
Ministrou uma palestra sobre a privatização dos serviços postais e o novo setor postal. Fábio abordou os seguintes temas: privatização dos Correios, novo modelo de negócios com a privatização da ECT; e oportunidades de comércio eletrônico.
Ocasionalmente, o diretor de concessões e privatizações do BNDES também destacou a necessidade de manter os serviços essenciais como os serviços postais e de encomendas prestados pela empresa.

Projeto de privatização aprovado na Câmara dos Deputados para a venda dos Correios

A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 591/21, apresentado pelo Poder Executivo em 5 de agosto deste ano, autorizando a operação privada de todos os correios dos Correios. Os deputados que aprovaram a proposta da venda dos correios, que seja estabelecida algumas condições e regras para a privatização dos correios.
O projeto de lei aprovado foi submetido ao Senado Federal para análise. Vale lembrar que um deputado do deputado Gil Cutrim (MA republicano) também foi aprovado junto com a proposta. Garante que o monopólio das cartas e cartões-postais permanecerá com os Correios por um período de cinco anos. Este período pode ser prorrogado no contrato de concessão.
De acordo com o portal da Câmara de Agências, alguns critérios estão definidos no texto da proposta de privatização dos Correios:
– A prestação dos serviços é realizada em âmbito nacional com contrato de concessão com tarifas modestas para universais Serviços postais;< br> – O nome da empresa será Correios do Brasil;
– Não haverá fechamento de agências prioritárias para a prestação de serviços postais nas regiões mais remotas do Brasil;
– Os benefícios sociais da estatal terão continuidade;
– O quadro de funcionários não pode ser dispensado sem justa causa por um período de 18 meses após a alienação dos Correios, a não ser em regime de desligamento voluntário.
A privatização do posto deve ser feita com rapidez e agilidade, disse nesta segunda-feira 20 Fabio Abrahão, diretor de concessões e privatizações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), instituição que vai coordenar os testes do processo de vendas da empresa estatal. Com a mudança tecnológica, os serviços postais cada vez menos, e o avanço dos gigantes do e-commerce na prestação de serviços de entrega, a estatal está perdendo market share em uma velocidade não desprezível, segundo a administração.

Quanto mais a estatal está exposta à concorrência, mais os gigantes do e-commerce ganham capilaridade no território nacional, o que para Abrahão diminui a vantagem competitiva mais importante dos Correios. Daqui a cinco anos, o valor dos correios certamente será menor, disse o diretor do BNDES em seminário virtual promovido pela Associação Brasileira dos Empresários de Comércio Eletrônico (ABLEC) e veiculado pela Internet, o executivo disse que, segundo a agendar a publicação do edital de privatização do banco em abril de 2022. Para isso é necessário alterar a legislação, quebrar o monopólio do serviço postal e o regulamento da concessão do serviço postal universal.
O projeto de lei, que viabiliza a privatização dos Correios, foi aprovado pela Câmara dos Deputados e tramita no Senado Federal. O senador Márcio Bittar (MDB-AC) foi eleito relator do projeto de lei no Comitê Econômico (CAE) e deve se reunir na terça-feira, 21 de maio.

Leia também Supremo defende autonomia de instituições financeiras

Artigo anteriorAmazon chega para concorrer com Magazine Luiza e Americanas
Próximo artigoAitiana deslumbra em Cap Roig com seus 11 motivos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui